DO TERROR PARA A GLÓRIA ATRAVÉS DO AVIVAMENTO
COMO GUARDA NO VALE E COMO CORÇA NO MONTE

Habacuque 3.1,2,17-19

INTRODUÇÃO:

1) HABACUQUE: UM PROFETA DIFERENTE
- Os profetas recebiam de Deus e transmitiam ao povo, reis, homens.
- Habacuque vê a situação do povo e questiona a Deus

2) AS QUESTÕES DO PROFETA:
1ª Questão: Por que, aparentemente Deus tolera o pecado? (1.1-2)
Resposta Divina: Deus lhe dá garantias de que usará os caldeus como instrumentos de justiça. (1.6,7)

2ª Questão: Por que Deus usaria um povo ímpio e cruel para corrigir seu próprio povo, sua nação?
- (1.12) Não és Tu desde o início, o meu santo?
- (1.13) Tu és tão puro de olhos...
Resposta Divina: Eu julgarei os caldeus – 5 Ais (2.2-20)

3) AS QUESTÕES DE HABACUQUE REVELAM SUA ALMA ALQUEBRADA
- Seus questionamentos revelam o terror de sua alma (1.2)
- Habacuque só tem a Deus para recorrer (não menciona pai, tribo, cidade natal)
- Sobre ele está o peso, a carga e o fardo revelado para Judá (1.1)

* Habacuque é o profeta que intercede pelo povo dentro da noite. *

4) OLHA SUA ATITUDE DE PROFETA (2.1):
“Sobre a minha guarda estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei, e vigiarei, para ver o que fala comigo e o que eu o responderei, quando eu for arguido.”

- (2.1) Quando se põe em posição – Deus lhe fala!
- (2.20) Quando silencia – Deus lhe responde!

5) HABACUQUE NOS ENSINA QUE:
-Quando tudo parece perdido, com Deus ainda não está perdido.
- Quando a crise nos encurrala, precisamos olhar para o alto.
- Quando chegamos ao final dos nossos recursos, os recursos de Deus ainda estão disponíveis.

* Habacuque não vê alternativa, se não buscar avivamento. *
* Todas as suas questões o levam a Deus somente. *

I.  CRISES NOS ENSINAM QUE É TEMPO DE BUSCAR AVIVAMENTO

1) NÃO NEGAMOS QUE HOUVE AVIVAMENTO NO PASSADO:

a) I Reis 18.38Então caiu fogo do SENHOR e consumiu o holocausto, a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava na borda.”

b) II Crônicas 7.1 “E acabando Salomão de orar, desceu fogo do céu e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do SENHOR encheu toda a casa.”

c) Neemias 8.8,9 “E leram o livro, na Lei de DEUS, e declarando e explicando o sentido, faziam que, lendo se entendesse. E Neemias (que era o governador), e o sacerdote Esdras, o escriba, e os levitas que ensinavam ao povo, disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao SENHOR, vosso Deus, pelo que não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da Lei.”

d) Atos 2.1-4 “E cumprindo-se o dia de pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar, e de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso que encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas como que de fogo as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.”

2) MAS, PRECISAMOS DE AVIVAMENTO NO PRESENTE (3.2):

“Aviva, ò Senhor, a tua obra no meio dos anos...”

- Não só agora, mas sempre.
- A notifica: agora e no decorrer dos anos.

* O avivamento de ontem foi para ontem. O de hoje é para hoje *

* O Deus do avivamento é o mesmo ontem, hoje e será eternamente*

II. CRISE NOS ENSINA QUE AVIVAMENTO É NECESSIDADE (3.2)

“Aviva ó Senhor a tua obra...”

QUAL É A VERDADEIRA NECESSIDADE DA IGREJA HOJE?

- Não é dinheiro
- Não é influência
- Não é de política
- Não é prosperidade

* A verdadeira necessidade é de um genuíno avivamento *

a) Habacuque não pede ausência de sofrimento: pede avivamento

b) Habacuque não pede prosperidade: pede avivamento

c) O salmista pergunta: Sl 85.6 “Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se alegre em ti?”

d) John Armstrong (teólogo americano) define avivamento como: “O poder que traz vida e leva avante a causa de Cristo.”

Ele diz que, quando chega o avivamento:

- Uma profunda agonia pelo pecado está presente
- Pecados a tempo esquecidos são lidados com seriedade
- Confissão de pecados torna-se a ordem do dia
- Renovação do interesse pela Palavra de Deus está evidente
- A oração torna-se um deleite
- Sentir angústia pelas almas perdidas se torna normal
- Santidade se torna objetivo na vida do crente avivado
- Julgamento e eternidade terão um novo significado
- Céu e inferno se tornam preocupação de multidões

* Avivamento é questão de necessidade *

III. CRISE NOS ENSINA QUE AVIVAMENTO NÃO É MERECIMENTO, É MISERICÓRDIA

(3.2) “Na ira lembra-te da misericórdia”

a) Habacuque não confia na justiça ou merecimento do povo
b) O pecado provoca a ira de Deus
c) A ira de Deus trás o juízo divino

* Habacuque clama por misericórdia *
* Das entranhas divinas da misericórdia, fluem os rios caudalosos do avivamento *

IV. CRISE NOS ENSINA QUE O VERDADEIRO AVIVAMENTO VEM DE DEUS

(3.2) “Ouvi, Senhor, a tua Palavra e temi. Aviva a tua obra...”

- Avivamento não é obra da Igreja
- Avivamento não é agendado pela terra

* Avivamento é obra de Deus – Só Deus pode fender os céus e derramar avivamento *

CONCLUSÃO:

1) DO TERROR PARA A GLÓRIA:

- Habacuque sai do vale para o monte
- Inicia em conflitos e termina em fé, dizendo: (3.17-19)

- Entre o vale e o monte está o avivamento;
- entre o conflito e a exultação está o avivamento;
- entre a dúvida e a certeza está o avivamento;
- entre o guarda apreensivo na torre e a corça no monte está o avivamento.


 

Estudo elaborado pelo Pastor Fernando Farias Pereira, Pastor auxiliar da Assembleia de Deus
Ministério de Taubaté em São José dos Campos, SP.

Home | Quem somos | Nossa História | Missões | Fale conosco| Nossas Igrejas | Eventos | Estudos Bíblicos | Fotos | Vídeos

Copyright © 2010, Assembleia de Deus em São José dos Campos. Todos os direitos reservados.

Site design by Luiz Gonzaga.